RENAULT KOLEOS FICA MAIS BONITO PARA CHEGAR A 80 PAÍSES

Se antes o desenho não era o forte do SUV, com cara de Megane e Talisman, ele ganha mais fôlego e ambição para encarar o mundo.
A Renault mostrou, durante a abertura do Salão de Pequim, a nova geração do Koleos, um SUV que compartilha a plataforma do Nissan Qashqai, com tamanho e proposta semelhantes à de Toyota Rav4 e Honda CR-V.
O visual é a primeira grande evolução do Koleos, uma vez que seu antigo desenho nunca lhe permitiu grandes números de vendas. A atual identidade foi herdada dos novos Megane e Talisman, com faróis afilados seguidos de um “apêndice” iluminado por leds que desce em direção ao para-choque, além do losângulo da Renault em evidência no centro da grade.
No caso do Koleos, o capô dá ideia de robustez com seis vincos e uma falsa saída de ar nas portas dianteiras dão a ideia de esportividade. A traseira tem lanternas horizontais que seguem para o centro da tampa do porta-malas. As rodas são de 19 polegadas. Para quem já conhece os últimos lançamentos da marca, o interior é mais do mesmo. O destaque fica para o console central, que abriga a tela do sistema multimídia R-Link 2 e nos remete ao interior dos atuais Volvo. O volante pode ser aquecido e o esquema de áudio é da grife Bose.
A Renault ainda não revelou todos os detalhes mecânicos do utilitário, mas o que se sabe é da existência da tração 4×4 com modos 2WD, 4WD Auto e 4WD Lock. Mais do que isso, ele é recheado de equipamentos de segurança: sensores de estacionamento dianteiros e traseiros, câmera de ré, alerta de pontos cegos, assistente para mudança de faixa, leitura de placas de sinalização e frenagem de emergência.

Fonte: Quatro Rodas

COMO USAR O GPS A SEU FAVOR

Como usar o GPS a seu favor em viagens na estrada
Navegadores não são úteis apenas para encontrar o caminho certo. Em rodovias, o GPS pode te ajudar a fazer uma viagem mais segura.
Tenho viajado bastante de carro nos últimos tempos, entre 15.000 e 20.000 km por ano. Sempre na companhia do GPS, um “cara” que se revelou o melhor companheiro de viagem que um motorista pode ter. Aqui, confesso uma mania: mesmo nos carros com navegador original, fixo o meu celular em um suporte de para-brisa. É hábito, já estou familiarizado. Mas a mensagem importante aqui é: dirija sempre auxiliado por um GPS, mesmo que você não tenha dúvidas sobre o caminho a seguir.
O principal benefício é o que chamo de visão além do alcance. Às vezes, você chega em uma fila de dois ou três caminhões rodando bem devagar e próximos um do outro. Por mais que o local permita ultrapassagens, fica o receio de a reta acabar antes da manobra ser concluída — até por que não é a coisa mais segura do mundo se enfiar emergencialmente entre dois caminhões. Pois bem, com o GPS ligado, vejo antecipadamente o tamanho da reta, ganhando um elemento fundamental para a decisão de ultrapassar ou esperar outra oportunidade melhor.
Não estou sozinho nessa. Fabricantes como Ford e Audi já desenvolvem sistemas integrados entre carros, navegadores e faróis adaptativos (que alteram a direção da luz) para que o facho se ajuste automaticamente ao ângulo e raio da curva que segue adiante, de acordo com as coordenadas do trajeto no GPS. Na Rolls-Royce, a novidade é a integração entre o GPS e o funcionamento do próprio motor, para que as marchas sejam pré-engatadas conforme o percurso logo à frente, melhorando a suavidade e a eficiência de seu funcionamento.
Além do GPS, uso simultaneamente um aplicativo que avisa antecipadamente a aproximação de radares, lombadas, postos de combustível e outros pontos previamente salvos por mim mesmo. Salvo também pontos da estrada que não raramente têm problemas de conservação, além de curvas mais traiçoeiras e até pontos de assistência ao usuário, onde dá para parar e tomar um café e esticar as pernas.
Por fim, uso ainda um aplicativo de músicas, pois rádio na estrada, você sabe como é: canções regionais, sempre acompanhadas de muita interferência.

Fonte: Quatro Rodas

N-LARGO-S: O LADO NEGRO DA FORÇA DA FERRARI F12

N-LARGO-S: O LADO NEGRO DA FORÇA DA FERRARI F12
Modelo traz bodykit com visual matador e motor de 781 cv

A Novitec é reconhecida por preparar carros que, em tese, nem precisariam de mais potência. Com experiência em compor um visual ainda mais agressivo para esportivos italianos e deixar esses modelos ainda mais potentes, a empresa alemã especialista em Ferrari, Lamborghini e Maserati apresenta a Ferrari F12 N-Largo-S, que traz estilo mais “sombrio” que a F12 N-Largo.
Assim como a F12 N-Largo, a versão S estará disponível em apenas em 11 unidades, o que acentua ainda mais a exclusividade do carro. Mesmo parecido com o modelo anterior, o F12 N-Largo-S traz um bodykit totalmente novo, 7 centímetros mais largo na dianteira e 14 cm a mais na traseira. O visual é marcado pela pintura cinza, os para-choques dianteiros com grandes aberturas, saias laterais e spoiler, além do extenso uso de componentes de fibra de carbono. Também chama a atenção as belas rodas de 21 e 22 polegadas pintadas em preto, na dianteira e traseira, respectivamente.
Embora os números de desempenho da F12 N-Largo-S não tenham sido divulgados, essa versão utiliza o mesmo motor da F12 N-Largo. Com o propulsor V12 6.3, o superesportivo desenvolve 781 cv de potência e 73,6 mkgfm de torque (a original de fábrica traz 740 cv e 70,3 mkgf). O ronco bestial fica por conta de um novo sistema de escape, com o recurso de controle de válvulas para modular o som. A velocidade máxima estimada é de 350 km/h.

Fonte: Quatro Rodas